FUNDADOR

Manuel Lopes de Freitas Filho, é natural de uma cidade da montanhosa Zona  da Mata mineira: Viçosa. Aos dois anos de idade, ficou órfão de mãe e desde então, aprendeu que havia uma Mãe no Céu que velava por Ele, a Virgem Maria. Desde de muito jovem trabalhava em diversas atividades. Sempre muito católico, seguia o caminho da família em sua fé. Passou pelo Rio de Janeiro a estudos, depois viajou por todo o Brasil a trabalho. Findou essa etapa de sua vida pedindo demissão de uma grande empresa na qual trabalhava, para ficar disponível para a evangelização. Pregou e ensinou a palavra de Deus por todo o Brasil. Nesse período, já residia em Belo Horizonte onde era muito atuante na Renovação Carismática Católica. Assim da RCC- BH foi coordenador forâneo, regional e Arquidiocesano (este por dois mandatos); e também membro do Conselho Arquidiocesano e Conselho Estadual da RCC – Minas. Tem como príncipio estar na Igreja, servir sempre com Ela e Nela. Na Arquidiocese de Belo Horizonte, foi membro do primeiro Conselho Arquidiocesano de Pastoral, do Comitê Arquidiocesano de Missão, membro do Conselho do Projeto Construir a Esperança, da Pastoral Vocacional e da Evangelização 2000. Atuou de forma mais direta na pregação de Encontros, Retiros, Seminários e Congressos Católicos, em todo Brasil: para diversos movimentos, pastorais, associações, Novas Comunidades e de forma especial para a Renovação Carismática Católica. Em Maio de 2000, Ano Jubilar, Manuel recebeu de Deus a revelação de iniciar a Comunidade Católica Verbo Eterno, e através de seu sim permitiu que esta obra de Deus germinasse e desse frutos, sendo sinal da presença de Deus no mundo. Como Santo Agostinho, é um apaixonado pela Santíssima Trindade, pela verdade e pela criatura humana nos princípios morais, éticos e religiosos. Como Santa Rita, é um apaixonado pelo sacrifício da cruz, pela oração e pelos mais pobres e sofredores. Enfim podemos definir Manuel como HOMEM DE FÉ, firme e determinado, pessoa de Deus, da Igreja e para a Igreja. Homem aberto e atento à vontade do Deus Uno e Trino, sempre disponível a “não resistência” ao que Deus lhe mostra. Coração acolhedor tendo como modelo a Virgem Maria.