VOCAÇÕES

VOCAÇÕES VERBO ETERNO

 

 

Ide, e fazei que todas as nações se tornem discípulas, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”(Mt 28, 19-20).
Santo Afonso dizia uma frase que resume bem toda a vocação Verbo Eterno: “é preciso deixar tudo para ganhar tudo”. É uma vocação específica, isto é, uma forma própria de servir a todo o povo de Deus e a Igreja, profundamente comprometida com a causa de Cristo. Deus nos chama, nos convoca, nos incita a viver uma vida engajada na construção do seu reino.
Viver a vocação Verbo Eterno é proporcionar a todos um conhecimento melhor e pessoal de Jesus Cristo e de sua missão salvífica; ser verdadeiro “cooperador de Deus” na plena realização do Seu Plano de Salvação.
O encontro pessoal com Deus abre-nos necessariamente ao amor pelos irmãos. É sempre enquanto Igreja, em comunhão com os outros, que correspondemos à nossa vocação. A vocação Verbo Eterno se faz presente, de uma forma especial, no seu Carisma comunitário: Formação, Intercessão e o Serviço.
Como Filhos de Deus, Membros do Corpo de Cristo e Morada do Espírito Santo, somos chamados a dar Testemunho pleno da ação da Santíssima Trindade em nossas vidas e no mundo. Essa é a nossa MISSÃO. Somos vocacionados a assumir radicalmente a santidade de vida como sustento e força da ação missionária.
Viver uma vocação comunitária, nos exige permanentemente, atitudes e ações comprometidas com o Evangelho de Cristo, que deve ser traduzido numa experiência íntima e mobilizadora, num encontro que dê sentido à vida das pessoas. Desta maneira a vocação Verbo Eterno, nos incita a viver uma vida engajada na construção do Reino: compartilhando a esperança, vivenciando o poder da oração e expressando sempre a alegria.
Que a Santíssima Trindade nos fortaleça, inspire e impulsione a viver o aspecto profundo da vocação Verbo Eterno: “ser verdadeiro cooperador de Deus na plena realização do Seu Plano de Salvação”; proporcionando a todos a participação e construção de um reino de fé, concretizando uma sociedade mais justa e fraterna.
A composição dos membros é apresentada da seguinte forma:
  • Consagrados Celibatários: Leigos, Religiosos e Clérigos.
  • Consagrados não Celibatários: Leigos Solteiros e Casados.
  • Não Consagrados: Leigos Solteiros e Casados.
O Vocacionato
O período do vocacionato tem uma marca forte, pois, ele é o momento da coragem, de tomar posse de algo que ainda não se concretizou, mas, que já se tem certeza no coração. Assim denominamos exatamente ao que chamamos de Fé: “Eu creio Senhor! Tú estais me chamando. Eu ouvi seu chamado, eu vi suas moções e todas elas se concretizaram em meu caminhar através da oração, dos sinais e da minha própria vida. E, entendi nisso tudo a sua ação e moção em minha vida. “
O vocacionato é o momento em que concluímos isso tudo, pessoalmente, na paz do coração. E, junto a confirmação da Comunidade entendemos e acolhemos que Deus nos chamou a estar na Obra. Recebe-se a primeira cruz como um primeiro sim e o primeiro passo para o caminho da consagração.
Inicia-se nesse período uma proximidade maior e mais intensa unida a vida da Comunidade em seu carisma através de sua vida fraterna, missão e projetos.

 

 __________________________________________________________________

“QUERO CONSAGRADOS!”
  Eis o que diz o Senhor Deus:
Com a mão vou fazer sinal às nações, e levantar meu estandarte para alertar os povos.
Trarão teus filhos na dobra de seu manto, e em seus ombros carregarão tuas filhas.
Reis serão teus aios: prostrados diante de ti, a face contra a terra,
Lamberão a poeira de teus pés.
Saberás então Eu sou o Senhor, e que não serão confundidos os que contam comigo.
(Is 49, 22-23)
 
                            E, assim, diante das promessas do Senhor, queremos levar a você a oportunidade de pensar um pouco sobre sua vocação. Seria você alguém que escutou… ouviu…. entendeu este clamor do Senhor para o seu povo: “Quero Consagrados”? E, ainda : “Eu vou fazer sinal às nações e levantar Meu estandarte. Saberão que Eu sou o Senhor e não serão confundidos”.
                              Ser consagrado é ser pertença inteira de Deus no meio do mundo; ser canal e porta de salvação para os que não têm esse chamado, mas, também são chamados ao Reino de Deus, ou seja, todos.  O consagrado, enquanto pessoa vocacionada, que se sente tocada para essa missão e passa pelo caminho de uma descoberta, tem como responsabilidade gravada em seu íntimo essa convocação de Deus e por isso, a inquietude a desperta. Não tenha medo! Deus convida você, porque confia que você é capaz. Ele sabe muito além de você mesmo, do que  és capaz e pode fazer pelo reino d’Ele.