FÉ E ESPERANÇA

0 comments
FÉ E ESPERANÇA
O mês de Maio chega trazendo uma temperatura agradável e um frescor saudável, mas também uma fé amadurecida e uma esperança renovada. O mês de Maio nos apresenta como um tempo de mudanças e de colheitas.  No polo Norte o mês de Maio é primavera e no polo Sul é outono. A primavera é o tempo no qual o solo se torna mais fértil e as plantas florescem novamente. Se o inverno é o tempo da espera, a primavera é o tempo da promessa, da realização da espera. O Beato Cardeal John Henry Newman em seu livro póstumo “Meditações e devoções” nos diz: “Ninguém pode negar que este seja pelo menos o mês da promessa e da esperança – continua. Ainda que o tempo não seja favorável, é o mês que dá início e é prelúdio do verão.” O outono é conhecido como o período de colheitas, porque é o momento em que se inicia a queda de folhas e frutos. No latim a palavra outono significa “amadurecer”, que faz referência à época do ano destinado à colheita. Do ponto de vista cultural, o outono é tratado como uma estação que inspira beleza, sendo considerado como um tempo de mudança, pois representa a transição entre o verão e o inverno.
Por todas estas grandezas do mês de Maio ele foi consagrado à Maria, mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, e com particular devoção ao Santo Rosário. Maria é o grande sinal e testemunho da esperança, da colheita, da realização da promessa, da necessária mudança e do amadurecimento na fé. São João Paulo II, o Papa das famílias, afirma: “Nos deste a Tua Mãe como nossa, para que nos ensine a meditar e adorar no coração. Ela, recebendo a Palavra e colocando-a em prática, fez-se a mais perfeita Mãe”. Maria foi o maior exemplo de fé, de certeza, e de fidelidade ao Pai. O povo cristão consciente desta grandeza de Maria chamou-a “Onipotência Suplicante” e a tem como atalho que leva mais depressa para Deus.
Neste rico mês de Maio, destacamos ainda, que é o mês da família. “No dia 15 de Maio, celebra-se o Dia Internacional da Família, proclamado como tal pela Assembleia Geral das Nações Unidas, através da resolução 47/237 de 20 de Setembro de 1993, para destacar a importância das famílias como unidades básicas da sociedade”. Nesse mês dedicado a Maria e a família também celebramos a cada uma de nossas mães. Mulheres mães que imitando a Maria na fé assumem a grande missão de formar homens e mulheres à imagem e semelhança de Deus.
Portanto, neste mês dedicado a Bem-Aventurada Virgem Maria, queremos acorrer à sua intercessão e pedir a Ela todas as graças e bênçãos sobre os nossos benfeitores e amigos, sobre cada família, sobre todas as mães e sobre cada um de nós.
Manuel Lopes de Freitas Filho, CCVE – Fundador.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.