Quaresma

0 comments
Quaresma
Quaresma: o que é? Por que passamos por ela todos os anos? O que se deve fazer nesse período?
Passamos há pouco tempo pelo Advento, e João Batista nos mandava preparar o caminho do Senhor. Pedia penitência e conversão. No término do Advento veio o Natal que é o Nascimento do Senhor, o Salvador. E na Quaresma, depois de passarmos pelo tempo de conversão, novamente nos é pedido o mesmo. Isso nos prova mais uma vez que conversão é um processo contínuo. Dia a dia, temos que mergulhar no nosso interior, para mudarmos o que nos impede de viver a graça que nos é dada desde o batismo.
Jesus é levado pelo Espírito Santo ao deserto e lá fica 40 dias, em meditação, jejum e oração. Se João Batista nos pedia para preparar o caminho, nós também, nesse tempo, precisamos fazer o mesmo: meditação, jejum e oração. Preparar o caminho para que Jesus seja não só conhecido, como também amado. Como diz Raniero Cantalamessa, “ao longo dos anos, muitos fizeram e fazem essa opção de Jesus”. E, nas condições em que encontramos hoje, no mundo, não vejo outra opção para os seguidores de Jesus – os cristãos. E está cada vez mais difícil ser esse cristão autêntico. A própria agitação do mundo nos tira do deserto. E esse deserto não é um local, mas temos que cria-lo dentro de nós, mergulhar nas profundezas do Espírito Santo, sondar as vontades de Deus. E isso se faz na intimidade com o próprio Deus.
Santo Agostinho nos ensina: “Retorneis para dentro do vosso coração! Onde quereis ir longe de vós? Retorneis da vagabundagem que vos levou para fora do caminho; retorneis ao Senhor. Ele está pronto. Primeiro retorne ao teu coração, tu que te tornaste estranho a ti mesmo, por força de vagabundar fora: não conheces a ti mesmo, e procuras aquele que te criou! Volta, retorna ao coração: separa-te do corpo… regresse ao coração: lá examina o que talvez percebas de Deus, porque ali se encontra a imagem de Deus; na interioridade do homem habita Cristo”.
Esse é o momento do retorno, do mergulho em si mesmo, oportunidade de renascer, ressuscitar com Cristo e em Cristo e por Ele, para o alívio do coração de muitos.
Temos a tendência de somente julgar e condenar, esquecendo-nos do conhecimento que já nos foi dado. “Porque, a quem muito se deu, muito se exigirá. Quanto mais se confiar a alguém, dele mais se há de exigir”. (Lc 12, 48b).
O deserto está aí, à nossa disposição – Quaresma. Mais uma oportunidade dada pela Igreja, para que possamos voltar ao primeiro amor e levá-lo a todos, sem pensar em quem está chegando esse amor. Para muitos será novidade e outros, simplesmente voltarão para o amor do Pai, através de Jesus, com o nosso testemunho.
“Senhor, fazei-nos possuidores dessa graça através do deserto oferecido a nós, pela Quaresma. Dá-nos coragem para vivermos como Jesus Cristo, a fortaleza da oração, do jejum e da meditação para resistirmos às tentações”!
Maria Auxiliadora Ferreira Lopes Viana, CCVE
Membro do Conselho Superior

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.