Natividade de Nossa Senhora

0 comments
Natividade de Nossa Senhora
A misteriosa sabedoria de Deus arquitetou uma porta, para chegarmos à felicidade celestial. Deus escolheu o tempo perfeito, escolheu o lugar, escolheu a família, escolheu a Mulher, onde se gestaria a salvação. A promessa se materializaria pela Mulher e, antes dela nascer, Deus já a amava e a elegera. A singela viria como rainha, secretamente, que só iria ser coroada no céu. Ó singular gestação, a tecer a menina que daria a resposta tão esperada pela natureza humana. Nasceria a prometida, anunciada na profecia de Isaías “uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco” (capítulo 7,14).
Nasceu a Virgem, como havia prometido a nossos pais, e o nome da virgem era Maria (cf. Lc 1, 27.55). Veio ao mundo e cresceu, uma Mulher de exuberância interior e não apegada às coisas superficiais. Os maiores bens plantados, cultivados e colhidos em sua vida não eram exteriores, mas vinham de dentro, de onde brotava grande riqueza e discrição. Uma das virtudes mais lindas estampadas no Coração de Maria era o silêncio, silêncio fecundo, fonte de amor.
Na hora necessária, disse o “sim”, ao ser visitada pelo arcanjo, que a saudou: “encontraste graça diante de Deus” (vv.30). Além de plena do Espírito Santo, tornou-se ainda uma mulher forte, pois o anunciador disse: “a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra” (vv.35).
A força não estaria nas jóias e posses, como se reconhecia antigamente, mas numa alma devotada, caridosa. Certa vez, Padre Pio pegou uma jóia que enfeitava uma imagem de Nossa Senhora e deu aos pobres, para comprarem pão aos seus filhos, acreditando que Ela mesma não quereria todo esse ouro. Exortado, ele disse algo assim: “se eu conheço bem Nossa Senhora, ela faria isso mesmo”.
Nascera a Mulher, para se nascer o Filho. Sabedoria divina essa, desde toda a eternidade. Revelação e comunicação divinas a alguém que sabe escutar: “eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra” (vv.38). Jesus era a Palavra e a Grande Promessa, pelas quais ansiava toda alma humana.
Maria é a Mãe que vem a nós, é a causa de nossa alegria. “Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio” (vv. 43s).
O corpo, alma e espírito de Maria foram completamente preservados, separados, para que se desse curso ao plano salvífico. O corpo gerou o Cristo, a alma engrandeceu ao Senhor e o espírito se alegrou em Deus, o Salvador (vv. 46s).
Flui de Maria, Nossa Senhora, a ação da providência divina. Desde o acontecimento extraordinário de seu nascimento, chegando ao ápice do milagre do nascimento de seu Filho e perpetuando no decorrer do tempo, percebe-se a porta providente. Mãe atenta nas várias “bodas de Caná” da história.
A Comunidade Católica Verbo Eterno celebra a natividade de Nossa Senhora com muita emoção, até porque, pela providência, a comunidade nasceu exatamente em 8 de setembro, no dia do aniversário da querida Mãe.
Lisiane Aguiar Henrique, CCVE

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.